Egito: Bomba atinge turistas perto das pirâmides de Gizé

Cet article a été aussi publié en : frFrançais (Francês) enEnglish (Inglês) ruРусский (Russo) arالعربية (Árabe) deDeutsch (Alemão) esEspañol (Espanhol) itItaliano (Italiano) ja日本語 (Japonês) nlNederlands (Holandês) idIndonesia (Indonésio) svSvenska (Sueco) zh-hans简体中文 (Chinês (Simplificado)) plpolski (Polonês)

Uma bomba explodiu no domingo quando um autocarro turístico passava perto do Grande Museu Egípcio, perto das pirâmides de Gizé. Pelo menos 17 pessoas ficaram feridas, segundo a AFP.
Imagens dos locais de explosão que circulam nas redes sociais mostram o autocarro danificado e os destroços na estrada.
Um dispositivo explosivo explodiu ao longo da rota do ônibus turístico que passava por Guiza, perto do local do novo museu de antiguidades egípcio em construção ao pé das pirâmides.
Durante um ataque semelhante em dezembro, três turistas vietnamitas e seu guia egípcio foram mortos por uma explosão de bomba artesanal quando seu ônibus passou perto do local das pirâmides de Guiza.
O ataque de domingo acontece pouco mais de um mês antes do início da Copa das Nações Africanas no Egito, de 21 de junho a 20 de julho.
A indústria do turismo, crucial para a economia egípcia, tem sido gravemente afetada pela instabilidade política e pelos ataques que se seguiram à revolta de 2011, que terminou com a queda do presidente Hosni Mubarak após 30 anos no poder.
De 14,7 milhões de turistas em 2010, ele subiu para apenas 5,3 milhões em 2016. Mas a indústria do turismo melhorou desde 2017.
Desde a demissão pelo exército do presidente islâmico Mohamed Morsi em 2013, as forças de segurança têm enfrentado grupos extremistas muito ativos, incluindo o Estado Islâmico (EI), principalmente na península do Sinai (nordeste).