Jordânia: Oito pessoas feridas em ataque com faca

Cet article a été aussi publié en : frFrançais (Francês) enEnglish (Inglês) ruРусский (Russo) arالعربية (Árabe) deDeutsch (Alemão) esEspañol (Espanhol) itItaliano (Italiano) ja日本語 (Japonês) nlNederlands (Holandês) svSvenska (Sueco) zh-hans简体中文 (Chinês (Simplificado))

Pelo menos oito pessoas, incluindo quatro turistas estrangeiros, ficaram feridas hoje durante um ataque com recurso a uma faca em Jerash, no norte da Jordânia, informaram as forças de segurança locais.
Três turistas mexicanos e uma suíça ficaram feridos no ataque realizado com uma faca hoje em Jerash, famoso sítio arqueológico no norte da Jordânia, disse à agência de notícias AFP o porta-voz da Segurança-Geral jordana, Amer Sartaoui.
Um guia turístico dois oficiais da Direcção-Geral de Segurança e um motorista de autocarro também ficaram feridos ao tentar impedir o agressor, segundo a mesma fonte.
As autoridades não esclareceram ainda quais os motivos do atacante.
“Os feridos foram levados para um hospital” e o “agressor foi imediatamente detido”, acrescentou um porta-voz dos serviços de segurança jordanos.
Esta não é a primeira vez que atracções turísticas são alvo de ataques na Jordânia.
Em Dezembro de 2016, outro local turístico, Karak, a 120 quilómetros ao sul de Amã, foi palco de um ataque que deixou 10 mortos – sete policiais, dois civis jordanos e um turista canadiano — e trinta feridos. O ataque foi reivindicado pelo grupo Estado Islâmico (EI).
Dez pessoas foram condenadas e as sentenças variaram entre três anos de prisão e a pena de morte.
A Jordânia é conhecida por seus esplêndidos sítios arqueológicos, que estão entre os mais importantes do Médio Oriente, como a cidade de Petra, uma das sete maravilhas do mundo, ou o templo romano de Jerash.
O deserto de Wadi Rum e o Mar Morto também estão entre as suas atracções turísticas.
O turismo é um dos principais recursos da Jordânia.